Como construir banco de dados Como construir banco de dados

Como construir banco de dados: conheça o passo a passo

7 minutos para ler

Há poucas décadas, os comerciantes armazenavam todas as informações relacionadas ao seu negócio em caderninhos bem guardados. Um dos benefícios da época na qual vivemos é que armazenar dados se tornou bem mais prático.

Isso porque é possível contar com ferramentas que automatizam boa parte do serviço e facilitam a consulta às informações. Nesse post, falaremos sobre as principais tecnologias, indicaremos alguns tutoriais e até mesmo descobriremos como construir um banco de dados. Boa leitura!

O que é um banco de dados?

Ele é nada mais do que a organização e o armazenamento de informações de um domínio específico na internet. De maneira resumida, um banco de dados é um agrupamento de informações sobre um mesmo assunto e a devida armazenagem para garantir a segurança e a conferência futura.

O próprio hábito de guardar informações, em pastas e planilhas, é um banco de dados. Contudo, com o advento de uma cultura data driven e a disponibilização dessa técnica para empresas de diferentes segmentos, ficou mais fácil obter uma solução moderna para guardar e organizar arquivos e documentos valiosos para o negócio.

Nesse sentido, contar com um sistema de gerenciamento de banco de dados (também chamado de SGBD) é uma ótima prática para manipular informações, arquivá-las de forma segura e otimizar a rotina geral de qualquer empresa.

Hoje, é comum encontrar diversos tipos de SGBDs, cada um com suas próprias características. Podemos citar alguns exemplos:

  • Oracle;
  • MySQL;
  • SQL Server;
  • PostgreSQL.

Mais adiante, falaremos mais sobre alguns desses softwares. Também é importante notar que empresas que mantêm sites em WordPress e plataformas similares se beneficiam muita da adoção de um banco de dados, que consegue se integrar de forma bastante prática a essas soluções.

Como construir banco de dados?

Primeiro, é importante dizer que é possível criar um banco de dados utilizando um modelo já existente ou criar a sua própria opção do zero. Contudo, com a ampla de quantidade de bons softwares existentes, a melhor maneira é utilizar uma dessas soluções. Agora, falaremos dos programas mais comuns.

Oracle

O Oracle é uma das principais soluções da empresa homônima, com sede nos Estados Unidos. Ele é o sistema de gestão de banco de dados mais utilizado no mundo, operando na linguagem SQL.

Além da segurança que uma solução da Oracle garante aos seus clientes, outra vantagem relevante desse modelo é que ele pode ser instalado em diferentes plataformas, já que é compatível com Windows, Linux e outros sistemas não tão conhecidos, como BIM AIX e IBM VMS.

Outra vantagem desse programa é o seu nível geral de performance, garantindo horas tranquilas de trabalho para os usuários. Essa solução é ideal para empresas maiores, mas também pode ser adaptada em negócios menores.

No próprio site da empresa é possível encontrar informações sobre a criação de diferentes bancos de dados, dependendo da necessidade do usuário.

SQL Server

O SQL Server foi desenvolvido por outra gigante tecnológica, a Microsoft. Trata-se de outra solução bastante utilizada no mercado, com recursos avançados para facilitar a atualização dos dados arquivados e também armazenar tudo de forma confiável.

É importante notar que o SQL Server atua com sistema integrado de criptografia, o que é ótimo para gestores que querem restringir o acesso às informações. Assim, é possível delegar a visualização dos arquivos apenas às pessoas autorizadas, o que garante mais segurança e tranquilidade para a empresa.

O SQL Server é muito utilizado por lojas online, instituições governamentais, bancos e indústrias de diferentes portes. O usuário consegue encontrar tutoriais no YouTube e na própria página da Microsoft.

MySQL

O MySQL é outra solução da Oracle, bastante empregada para armazenar dados. Uma das suas principais características é que é um programa Open Source, permitindo a customização por parte dos programadores.

Um benefício relevante é que há a possibilidade de usar grande parte das suas funções de forma gratuita. O MySQL é bastante intuitivo e utiliza uma estrutura de segurança que atrai até mesmo grandes empresas, como o Facebook, o YouTube e até mesmo a NASA.

Por falar no YouTube, é possível encontrar diversos tutoriais sobre a criação de banco de dados utilizando o MySQL. Há vídeos mais curtos e explicações mais detalhadas.

Excel e Access

Sim, é possível criar um banco de dados no Excel! Trata-se de uma boa opção para quem quer criar algo mais rápido e dinâmico. Por isso, guardamos esse tutorial como a nossa surpresa final!

Entenda a estrutura

A primeira etapa tem a ver com a organização de informações dos clientes. Basta ter em mente que toda a organização será em linhas, nas quais as informações serão inseridas, e em colunas responsáveis pelos campos que serão armazenados.

Liste os itens cadastrados

A partir daí, liste os itens cadastrados nas colunas. O campo A1 da sua planilha pode ser o código de um produto que você venda em sua loja, por exemplo, enquanto o B1 será o nome da mercadoria. O campo C1 pode ser a quantidade vendida e o D1, a data da venda. Você pode criar quantos elementos quiser.

Cadastre os dados

Depois, é o momento de cadastrar os dados. Basta preencher as informações de acordo com os itens cadastrados. Assim, nas linhas do campo B1, liste os nomes dos produtos e, nas linhas do C1, a quantidade vendida de cada um deles.

Automatize

Você deve ter percebido que, até o momento, fizemos o lançamento manual de informações, certo? Contudo, isso pode ser um problema caso você queira criar um banco mais robusto, já que será difícil controlar o fluxo.

Felizmente, o Excel possui uma ferramenta de automação específica para isso, o que torna tudo mais eficiente. Para acessar, clique com o botão direito do mouse em qualquer um dos ícones da barra de ferramentas de acesso rápido.

Caso você não saiba que barra é essa, vá até o lado esquerdo superior, em “Arquivo”. Depois, clique com o botão direito em um dos ícones que aparecem ali. Um deles é o disquete que representa o comando “Salvar”.

Depois, clique em “Personalizar barra de ferramentas de acesso rápido”. Procure o campo “Escolher comandos em:”, clique na seta ao lado e escolha a opção “Todos os comandos”. Procure pelo item “Formulário” e adicione essa opção. Depois, basta clicar em “OK” para finalizar.

Ao seguir esses passos, o ícone de formulário aparecerá na barra de ferramentas de acesso rápido, lá no alto. Caso queira incluir uma nova informação, clique na célula que deseja incluir e, logo em seguida, no ícone de formulário.

Basta notar que todos os itens que colocamos no início, como “código de produto” ou “nome do produto”, aparecerão nesse Formulário, na barra de ícones, facilitando muito a inserção de dados.

Use o Access

Por fim, para transformar essa planilha criada em um banco de dados completo, é possível utilizar o Access, um programa pertencente ao próprio pacote Office. É interessante notar que um arquivo do Access consegue conter diversos documentos do Excel, facilitando o armazenamento de informações.

Além disso, o processo é simples e o próprio assistente virtual do Access ajuda com um passo a passo para a importação eficiente de planilhas. Aqui, há um tutorial para criar a planilha no Excel e outro para utilizar o Access.

Como pudemos ver no artigo, aqueles que querem aprender como construir um banco de dados para armazenar as informações da empresa têm diversas opções. Há opções mais simples, como o Excel, até soluções mais robustas, como aquelas oferecidas pela Oracle. Não deixe de conferir o nosso post sobre a Lei Geral de Proteção de Dados para entender mais sobre o assunto.

E aí, curtiu o artigo e quer ler mais sobre o uso da tecnologia nos negócios? Então, aproveite para ler o nosso e-book sobre Big Data!

Posts relacionados

Deixe um comentário