Como montar uma loja virtual: confira um guia completo

13 minutos para ler

Apesar da instabilidade econômica, o e-commerce vem crescendo no Brasil. Apenas no primeiro trimestre de 2020, o setor superou os R$ 50 milhões de compras online. Esse movimento tem atraído, para o comércio digital, muitos micro e pequenos empreendedores, mas como montar uma loja virtual atrativa e que se destaque da concorrência?

Esse guia foi preparado para que você entenda tudo sobre esse assunto. Ao final, você confere ainda um passo a passo para te ajudar a criar sua própria loja. Vamos lá?

O que é e-commerce?

O termo é uma abreviação de electronic commerce e diz respeito a todo tipo de comercialização realizada online. Considerado hoje um dos melhores canais de divulgação e vendas, ele oferece diferentes modelos de negócio para as empresas que desejam vender na internet.

As micro e pequenas empresas costumam adotar o esquema B2C (Business to Consumer), já que, em sua maioria, elas vendem diretamente para o consumidor final. Esses negócios também têm utilizado o social commerce, transformando as redes sociais em canais de venda.

Por que é importante definir um nicho de atuação?

A transformação digital abriu um novo canal para a venda e a divulgação de produtos e serviços, mas, para aproveitar dos benefícios do e-commerce, é necessário definir um nicho de atuação estratégico. Esse elemento afeta muitas áreas do seu negócio, como número de vendas, a recorrência ou não de consumidores e até o esforço que será necessário para a criação e manutenção de sua loja online. Na hora de selecionar o melhor nicho para seu negócio, não deixe de considerar:

  • preço: a margem de lucro de lojas de comércio eletrônico varia entre 20% e 30%. Cabe a você decidir se prefere vender itens mais baratos, atraindo mais consumidores com um menor ticket médio, ou vender itens mais caros, garantindo um pedido de maior valor;
  • audiência: defina o perfil das personas do seu negócio. Quanto mais específico for esse público, maiores as chances de vendas;
  • oportunidade de mercado: na compra online, os consumidores estão mais sujeitos a deixar de lado a lealdade às marcas preferidas. Descubra os pontos fracos da concorrência e ofereça condições mais atrativas aos clientes.

Quais são as vantagens de abrir uma loja virtual?

O e-commerce não é apenas mais um canal de venda de sua empresa, ele traz benefícios ao seu negócio que incluem os itens listados abaixo. Veja.

Reforço de sua marca online

Com a presença de sua empresa na internet, é possível trabalhar o branding e tornar sua marca mais conhecida. Até as avaliações dos consumidores sobre os produtos ou serviços comprados em sua loja virtual ajudam a construir a credibilidade do seu negócio no ambiente online, atraindo novos clientes.

Acesso a recursos que impulsionam as vendas

O comércio online oferece soluções que trazem oportunidades que não existem nos canais de venda físicos. Com os recursos do Google, por exemplo, você pode obter informações sobre o tráfego dos clientes no seu site, criar anúncios e melhorar o posicionamento do portal nas ferramentas de busca.

Atendimento ininterrupto

Os espaços físicos devem respeitar os horários comerciais, mas, no e-commerce, seu negócio permanece aberto para receber novos pedidos 24 horas, 7 dias por semana. Isso sem falar que a loja online reduz os custos operacionais, já que o valor para a manutenção de uma página é menor que o aluguel de um imóvel, por exemplo.

Maior alcance de consumidores

Uma das vantagens mais significativas do comércio eletrônico é que ele leva sua marca a um público que não teria acesso à sua loja física. Com isso, você amplia o espaço de atuação do seu negócio e expande também o público consumidor.

Escalabilidade

Com a loja virtual, é possível escalar o seu negócio mais rapidamente do que no canal físico de vendas. Isso ocorre porque a jornada de compra do consumidor online é mais dinâmica e permite que você realize várias vendas com a apresentação de um único anúncio. Além disso, os clientes de e-commerce estão mais sujeitos a realizarem uma compra por impulso, o que aumenta o ticket médio.

O que torna uma loja virtual interessante aos olhos dos consumidores?

Para garantir mais tráfego em sua loja online, você precisa entender melhor o comportamento do consumidor. Reunimos abaixo os requisitos que mais atraem os compradores de e-commerce.

Descontos

A sensação de comprar algo abaixo do preço é sempre um fator que atrai o comprador. Os cupons de desconto são também uma excelente maneira de atrair mais tráfego para sua loja e estimular a primeira compra de novos clientes. Fique atento ao cálculo de retorno dessas ações. Caso seu interesse seja aumentar o ticket médio da loja, estimule um valor mínimo para a aplicação do desconto. Você pode anunciar um desconto de 15% nas compras a partir de R$ 250 reais, por exemplo.

Promoções exclusivas

Criar ofertas exclusivas para os compradores mais frequentes também é um atrativo que aumenta o número de pedidos e leva à fidelização. O importante é deixar claro ao cliente que aquela oferta não está disponível para todos os compradores. Aproveite o e-mail cadastrado por ele, no momento da compra, como uma abordagem para informá-lo sobre esses benefícios.

Presença nas redes sociais

Grande parte do tempo das pessoas online é dedicado ao acesso das redes sociais. É lá que a maioria dos consumidores acaba conhecendo sua empresa e os produtos ou serviços que você oferece. Esteja presente nas mídias sociais mais utilizadas pelo seu público consumidor e utilize os recursos disponíveis nessas ferramentas para impulsionar suas publicações e divulgar os produtos.

Formas de pagamento variadas

Os consumidores preferem lojas virtuais que oferecem diferentes opções para o pagamento dos pedidos. Apesar das compras em crédito ou débito eletrônico liderarem as vendas dos e-commerce, não se esqueça de incluir os boletos, pois muitos brasileiros não têm conta bancária ou preferem realizar as compras em dinheiro.

Segurança

O consumidor gosta de se sentir seguro durante uma compra online. Durante a elaboração de sua página de vendas, crie uma política de segurança e detalhe ao cliente tudo o que é feito para proteger as informações de pagamentos realizadas em sua loja virtual. Quanto mais informações forem fornecidas, maior a confiança do consumidor para comprar em seu e-commerce.

Facilidade nas trocas e devoluções

Os direitos do consumidor também estão assegurados nas compras online. No caso da legislação brasileira, o cliente tem até 7 dias para solicitar a troca ou devolução de um produto. Invista na divulgação desse direito e elabore uma política de trocas clara para derrubar a desconfiança do consumidor que tem medo de comprar no e-commerce.

Diferentes opções de entrega

O frete grátis ou valor de entrega com desconto é um elemento que influencia a finalização do pedido. Por isso, o ideal é apresentar ao cliente as opções de entrega na mesma página do produto ou serviço anunciado. Informar o tempo médio de cada método de envio também ajuda o cliente a planejar melhor a compra.

Outro recurso, cada vez mais, comum na venda online e que reduz custos – tanto para o consumidor quanto para seu negócio – é a opção de retirada do produto na loja. Essa alternativa também é uma oportunidade para que esse cliente conheça melhor sua marca, o que pode resultar em uma nova venda.

Quais os cuidados necessários para a abertura do e-commerce?

Para colocar em prática o plano de criação da sua loja virtual, é preciso considerar alguns fatores burocráticos e de gestão estratégica, apresentados a seguir.

Legislação

Em 2013, entrou em vigor o Decreto n° 7692. Conhecido como a Lei do E-commerce. Esse documento regulamenta o comércio eletrônico e assegura a defesa dos direitos do consumidor. Conheça os principais pontos que devem ser respeitados por sua empresa ao abrir uma loja virtual.

  • apresentar as informações sobre o negócio: o CNPJ da empresa, a razão social, o telefone, os endereços físico e eletrônico devem aparecer no rodapé de todas as páginas do site;
  • descrever detalhadamente o produto ou serviço anunciado: o consumidor deve ter acesso a todos os dados sobre o item anunciado por meio de uma linguagem clara e acessível;
  • oferecer suporte imediato: a Lei determina que o e-commerce disponibilize um serviço de atendimento ao cliente 24 horas, 7 dias por semana. Ele pode ser realizado por meio de um canal como o “Fale Conosco” ou um chatbot que esclarece dúvidas dos consumidores;
  • viabilizar as informações sobre a compra: o usuário deve ter acesso a um resumo do pedido com detalhes sobre o produto escolhido, tipo de frete, valor da compra e formas de pagamento.

Custos e tributações

A abertura do e-commerce inclui uma estrutura básica para a criação da loja, o que exige um cuidadoso planejamento financeiro. Ele deve cobrir custos como: o servidor que abrigará a página e o serviço de um profissional de Tecnologia da Informação (T.I), caso a criação do site seja feita por terceiros.

O regime de tributação varia de acordo com a natureza da empresa e o tipo de comercialização. No caso da venda de produtos, será cobrado o ICMS enquanto o e-commerce de serviços deve pagar o ISS.

Estrutura logística

Antes de colocar sua loja no ar, é preciso planejar as formas de entrega dos pedidos realizados no site da empresa. A entrega realizada via Correios é a mais utilizada, mas há um limite nas dimensões e peso das encomendas, que não podem ultrapassar 30 quilos. O serviço das transportadoras terceirizadas costuma ser mais estável que os Correios e tem um prazo menor para a entrega dos pedidos.

Equipe de operação

O ideal é contar com uma equipe dedicada às vendas online para não prejudicar o atendimento da loja física. Para esse trabalho, são necessários pelo menos um atendente (para dar o suporte ao cliente), um operador de expedição (para cuidar da separação e envio dos produtos), mais um profissional que entenda de marketing digital e possa melhorar o posicionamento do seu site nos motores de busca.

Qual é o passo a passo prático de como montar uma loja virtual?

Descubra quais são os 5 passos que indicam o caminho para digitalizar sua loja, abrir o seu e-commerce e conquistar muitos consumidores.

1. Registre seu domínio

Domínio é o endereço de sua empresa na web. Na hora do registro, é preciso atenção a alguns pontos, como combinar o nome da marca com uma palavra-chave que define o negócio, por exemplo. Sua empresa produz calçados? Use algo como onomedasuaempresacalcados.com.br. Essa orientação sobre o nicho do mercado em que você atua já ajuda a aumentar a visibilidade do seu site e melhora o posicionamento da página da empresa nos mecanismos de busca.

Nomes curtos e memoráveis também facilitam a compreensão do consumidor. Já os domínios que terminam em “.com.br” garantem um melhor posicionamento regional.

2. Selecione um servidor de qualidade

O servidor é o serviço que hospeda sua página na internet. São muitas as opções de hospedagem disponíveis. Por isso, fique atento aos seguintes requisitos:

  • disponibilidade: quanto maior for o período que o servidor fica no ar sem problemas, maiores são as garantias de que sua loja virtual estará sempre acessível;
  • capacidade de expansão: cada produto ou informação adicionada, em seu e-commerce, exige um espaço para armazenamento, então verifique a capacidade de expansão oferecido pelo servidor;
  • amplitude de tráfego: existem páginas de hospedagem que têm limite de tráfego e deixam sua página fora do ar assim que ela atinge o número máximo de acessos. Fique de olho nesse detalhe antes de assinar a hospedagem.
  • suporte: opte por servidores que oferecem atendimento a qualquer hora e que disponham de diferentes canais de contato.

3. Escolha a plataforma de sua loja virtual

A plataforma reúne o conjunto de estruturas digitais que garantem as operações de sua loja online. Ela apresenta duas partes: aquela que é visível para os visitantes e outra privada, onde você tem acesso a informações como controle de vendas e estoque. Você encontra no mercado plataformas prontas que podem ser customizáveis e outras desenvolvidas sob medida para sua empresa.

O importante é que ela consiga oferecer uma agradável experiência de compra ao consumidor. Entre os aspectos que contribuem para a navegabilidade dos visitantes de sua loja, estão:

  • design responsivo: que facilita o acesso ao e-commerce por meio dos dispositivos móveis;
  • velocidade de carregamento: lojas online que demoram para carregar fazem o cliente desistir da compra antes mesmo de conhecer melhor o produto;
  • navegabilidade: colabore para a fluidez da jornada do consumidor, descomplicando a interação dos clientes com sua loja.

4. Construa um template adequado

Quanto mais simples, limpo e intuitivo for o layout de seu e-commerce, mais rapidamente os consumidores conseguem encontrar o que procuram. Siga com a mesma identidade visual da sua loja física e capriche na apresentação dos seus produtos. Lembre-se que quando falamos de vendas online, as imagens fazem toda a diferença. Tire fotos que mostrem o produto anunciado em detalhes e elabore uma descrição de fácil compreensão.

5. Planeje sua estratégia de marketing

A maioria das lojas online usa a combinação de redes sociais e e-mail marketing para aumentar o tráfego da loja. Você também pode usar outros recursos, como as plataformas de anúncio online. O recomendável é começar o trabalho para atingir os clientes locais, segmentando sua cidade e analisando os comportamentos de compra. Aos poucos, você vai entendendo melhor o público e ampliando seu alcance.

Ao descobrir como montar uma loja virtual, você percebe que os benefícios superam os desafios. No entanto, é importante manter uma perspectiva estratégica, bem estruturada e pronta para eventuais ajustes ao longo do tempo, para garantir o sucesso do seu e-commerce.

Potencialize ainda mais as vendas de seu negócio, conferindo nosso guia de marketing omnichannel e descubra como integrar os canais de venda física e online a partir de uma mesma estratégia de marketing.

Posts relacionados

Deixe um comentário