O que é autogestão O que é autogestão

Entenda o que é autogestão e por que é importante para os líderes!

7 minutos para ler

Imaginemos dois dias de trabalho em uma empresa. No primeiro dia, não há qualquer gestor presente para indicar o que deve ser feito aos trabalhadores, paralisando as atividades. No segundo dia, uma decisão importante precisa ser tomada, mas nenhum dos supervisores está ali.

Esse tipo de cenário não precisa ser um pesadelo sem solução dentro do negócio. Há um modelo de gerenciamento de atividades que ajuda colaboradores de diferentes graus hierárquicos. Por isso, preparamos um post para você entender o que é autogestão e como ela é essencial no mercado atual. Siga a leitura!

O que é autogestão?

A autogestão pode ser definida como um modelo de administração na qual os colaboradores de uma empresa assumem um papel decisivo dentro do negócio. Nessa modalidade, elas passam a contar com mais autonomia, o que eleva a participação dessas pessoas nas tomadas de decisão.

Isso não significa, necessariamente, que todos os funcionários comecem a ter papel de liderança: a diferença é que a empresa passa a contar com funcionários mais capacitados e cientes do que deve ser feito, elevando a produtividade geral.

A autogestão se tornou ainda mais importante na economia brasileira em tempos de pandemia, uma vez que muitas empresas adotaram o home office para manter suas atividades o que exige um senso de autonomia por parte desses trabalhadores. Assim, nem sempre os gestores podem supervisionar o trabalho dos funcionários como antes.

Essa modalidade ajuda a estabelecer uma divisão mais democrática dos trabalhos a serem desenvolvidos. Na autogestão, cabe aos próprios colaboradores tarefas como:

  • divisão das equipes;
  • determinação de prazos;
  • cumprimento das normas;
  • encaminhamento das demandas.

A autogestão resulta em menos cobrança em relação à produtividade, uma vez que os próprios colaboradores compreendem melhor a importância do trabalho de cada um. Desse modo, não é preciso que a empresa adote supervisores que tenham a única responsabilidade de cobrar resultados. Por isso, podemos dizer que a autogestão leva a funcionários mais conscientes e responsáveis.

Qual é a sua importância na rotina de uma empresa?

Uma das vantagens mais perceptíveis é o aumento da participação e da produtividade dos colaboradores. Isso se explica pelo fato de que as pessoas passam a ter uma compreensão clara das suas atividades e de como realizá-la para otimizar os resultados da empresa.

Outro ponto interessante é que a autogestão se ajusta ao regime de home office — a solução para muitas empresas que querem sobreviver à pandemia. Agora, conheceremos outros pontos positivos dessa modalidade.

Desenvolvimento de espírito de liderança

Como mencionado, a autogestão não tem como objetivo principal eliminar as lideranças, mas garantir que os colaboradores desempenhem o seu papel de forma eficiente e de acordo com as necessidades da empresa.

Assim, ao garantir que tarefas mais complexas e sensíveis sejam distribuídas entre diversos trabalhadores, eles conseguem desenvolver habilidades essenciais para o crescimento da empresa. Isso enriquece as equipes e valoriza o capital humano da empresa, gerando mais produtividade.

Como se não bastasse, nada melhor para o moral de um colaborador que uma empresa que confie no seu desempenho. Por isso, a autogestão também faz com que os funcionários se sintam mais valorizados — e vistam a camisa da companhia.

Melhoria da comunicação interna

Um problema em diversos tipos de empresa é a comunicação falha entre os setores, o que causa danos à produtividade e até mesmo atrasa a entrega de produtos. A autogestão corrige isso, uma vez que cada trabalhador entende a relevância de transmitir instruções claras.

Isso porque a autogestão enfatiza a importância do trabalho de cada um para atingir objetivos mútuos. Para que todos estejam na mesma sintonia, nada melhor que uma comunicação clara e objetiva, não é mesmo?

Otimização do quadro de funcionários

A autogestão é empregada para incrementar as habilidades e a capacidade técnica de cada colaborador. Com essa evolução mútua, os gestores conseguem observar a melhoria da produtividade de cada um e tomar decisões mais embasadas sobre promoções e gratificações.

Além disso, como os trabalhadores se tornam mais qualificados e experientes, há uma aproximação entre líderes e liderados. Caso uma determinada equipe fique desfalcada de um funcionário mais graduado, por exemplo, o modelo de autogestão garante uma substituição à altura.

Há também outros benefícios, como uma maior agilidade nas tomadas de decisões e até mesmo a melhoria no relacionamento pessoal entre os colaboradores. Afinal, como o trabalho em equipe se torna mais dinâmico, a tendência é de que o clima se torne bem mais leve.

Como desenvolver a autogestão?

Agora que entendemos o conceito, nada melhor do que explicar como desenvolver a autogestão dentro do seu negócio, não é mesmo? Essas dicas valem tanto para si mesmo como para estimular os companheiros de trabalho. Então, vamos lá!

Determine uma rotina

Essa dica não pode faltar principalmente para as empresas que querem praticar a autogestão no trabalho home office ou no trabalho freelancer, por exemplo. Para isso, é imprescindível organizar tudo de forma adequada.

Isso pode ser feito por meio de anotações em uma agenda ou até mesmo em documentos online — com o Google Docs. Assim, os colaboradores conseguirão planejar um horário ideal para cada uma das tarefas. Caso você não faça isso, corre o risco de se esquecer de algo ou até mesmo de realizar o retrabalho.

Evite a procrastinação

A procrastinação é o ato de deixar tudo para depois. Ela pode ir além da simples preguiça, já que há a possibilidade de que o cansaço (físico ou mental) acabe tirando a vontade de trabalhar — assim, começamos a adiar tudo indefinidamente.

Para combater isso, nada melhor do que estimular que os trabalhadores estabeleçam intervalos adequados para realizar suas refeições e descansar, principalmente no home office. Só é preciso deixar claro que o serviço deve ser feito, uma vez que os funcionários podem acumular muitos períodos de descanso.

Organize seu ambiente de trabalho

É muito difícil praticar (e incentivar) a autogestão sem um ambiente de trabalho adequado. Isso porque ter tudo organizado ao seu redor fará com que o funcionário sempre tenha a mão as ferramentas que necessitar — o que ajuda até mesmo a evitar a perda de tempo desnecessária ao procurar alguma coisa.

Imagine que a sua empresa conte com um funcionário que passa mais tempo tentando localizar documentos do que produzindo efetivamente. Desse jeito será difícil confiar na autogestão por parte desse profissional, não é mesmo?

Busque exemplos bem-sucedidos

Quer difundir a autogestão em sua empresa? Então, tenha bons exemplos para demonstrar! Procure profissionais que possam palestrar sobre o assunto e também busque histórias que exemplifiquem as vantagens de um modelo de autogestão.

É possível encontrar diversos vídeos no YouTube sobre o assunto, além de livros — como “Autogestão – Desenvolvendo Talentos Para Gerir Escolas, Empresas e Instituições”, de Dirceu Moreira. Por meio de exemplos práticos, os gestores terão mais facilidade de agregar esse valor à cultura organizacional.

Entendeu o que é autogestão? Como pudemos ver, ela é um modelo de organização na qual as tomadas de decisão e gerenciamento de tarefas são feitas de forma mais democrática e horizontal. Ela é crucial para os líderes atuais, uma vez que ela qualifica os funcionários e os torna aptos a contribuir de forma precisa.

Gostou do nosso artigo e quer saber mais sobre outras formas de fazer a empresa crescer? Então, leia o nosso post sobre estratégias de fidelização!

Posts relacionados

Deixe um comentário