Sustentabilidade do negócio: 7 dicas para sua empresa sobreviver à crise

5 minutos para ler

A crise do coronavírus é um balde de água fria em diversos setores do comércio. Muitas pessoas perderam seus empregos ou reduziram a sua jornada de trabalho, o que tem afetado o poder de compra dos brasileiros. Nesse novo cenário, as empresas têm que se reinventar para continuar lucrando.

Pensando nisso, preparamos um post para mostrar como a empresa pode buscar a sustentabilidade do negócio, mesmo nesse período de crise. É hora de apostar no ambiente on-line e planejar as contas com cuidado. Siga a leitura!

1. Cortar despesas

Primeiro, é importante cortar todas as despesas que não sejam fundamentais para a condução do negócio e não agreguem valor imediato.

Alguns exemplos são contas em plataformas, lojas e serviços que não sejam urgentes para o momento. Caso seja possível, estude os contratos com fornecedores e tente renegociar novas condições.

2. Estabelecer um plano de contingência

Outra tarefa importante é desenvolver planos para diferentes períodos: ou seja, englobando o curto, o médio e o longo prazo. Dessa forma, será possível contemplar diversas situações e se prevenir para cada uma delas.

Para fazer isso, contemple meses extras após o término da pandemia para se reerguer. Afinal, muitas pessoas perderam seus empregos e estão relutantes em voltar a consumir. Trace diversos cenários, tanto otimistas como mais pessimistas.

Desse modo, ao situar a empresa em diferentes contextos (tanto em períodos hipotéticos de queda como naqueles em que pode ocorrer uma alta das vendas), será mais fácil entender o que fazer em cada uma dessa situações.

3. Apostar nas ferramentas virtuais

O distanciamento social pode ser, também, uma maneira de modernizar o negócio. Aplicativos como Zoom, Slack e Google Hangouts podem ser utilizados para agregar colaboradores ao trabalho remoto, tornando a empresa mais conectada.

Além de manter o negócio operando mesmo com os colaboradores à distância, sua empresa investirá ativamente em uma estratégia virtual buscar novas práticas, preparando-se para captar mais clientes por meio das plataformas on-line.

4. Fortalecer sua plataforma de comércio eletrônico

Como menos pessoas saem às ruas, apostar no comércio eletrônico é uma maneira de garantir que elas ainda estejam conectadas à sua marca. Além disso, aposte no delivery — você pode até mesmo se cadastrar em plataformas como o Uber Eats ou o Rappi para agilizar as entregas.

Não se trata de mero “achismo”: o comércio on-line chegou a crescer mais de 70% em 90 dias de pandemia. Para atingir esses consumidores, é imprescindível apostar nas mídias sociais e no site da marca.

5. Concentrar-se em seus pontos fortes

Quais são os produtos e serviços capazes de render lucros para sua empresa no presente? São eles que manterão o negócio funcionando, então se concentre no que você faz de melhor — e que realmente gere vendas.

Uma boa ideia é pensar nas atividades que exigem menos trabalho e geram alto impacto. Use o Princípio de Pareto, que trabalha com a proporção 20/80, ou seja: com 20% do esforço de produção, qual atividade atual pode render 80% de lucro? Pense naquelas com maior retorno geral e se concentre nesses pontos fortes.

6. Reinventar o modelo de negócio

Mesmo com todas as dificuldades, esse período tem gerado várias histórias de reinvenção do modelo de negócio. Uma matéria da Folha de S. Paulo mostra um exemplo interessante: uma cafeteria que tinha 99% da sua clientela no próprio edifício onde operava a loja conseguiu se remodelar apostando no delivery.

Isso foi possível com a ajuda de uma influencer digital, uma prática que também pode ser adotada por outras empresas. Já outra cafeteria aproveitou para montar um catálogo digital, por meio de um showroom na internet.

A matéria também mostra que estabelecer um programa de pontos para pessoas que indiquem outros clientes também tem sido uma medida eficiente. A sua empresa também pode aproveitar esse período para encontrar novas formas de chegar aos clientes. Outro exemplo interessante é a adoção de vouchers, que se transformarão em ordens de pedido vantajosas quando a loja reabrir.

7. Humanizar a marca

Sua empresa pode humanizar a marca mostrando os trabalhadores por trás dela, além de apresentar os esforços dos gestores em manter essas pessoas em um ambiente seguro de trabalho. Os colaboradores podem ser representados como pessoas comuns que também estão sofrendo com a restrição do comércio.

Além disso, sua marca pode se posicionar como educadora, divulgando conteúdos (no blog e nas mídias sociais) úteis para as pessoas. É uma boa ideia escrever artigos que linkem os produtos do negócio com as principais medidas de proteção contra a doença, como:

  • uso de máscara;
  • higienização das mãos;
  • isolamento social.

Assim, empresas do ramo de saúde, por exemplo, podem concentrar seus textos em cuidados de higiene. Já negócios de tecnologia podem enfatizar a importância de ter bons equipamentos para combater o tédio trazido pelo isolamento social. Buscar esse tipo de equilíbrio será muito importante para manter a sustentabilidade do negócio.

Gostou do artigo e quer apresentá-lo para outras pessoas? Então, compartilhe o texto em suas redes sociais e chame os amigos para discuti-lo!

Posts relacionados

Deixe um comentário