Pesquisa de opinião Pesquisa de opinião

Como fazer uma pesquisa de opinião que realmente funcione?

8 minutos para ler

Toda empresa deseja vender muitos produtos e lucrar. Além de investir na melhoria de mercadorias e serviços, como fazer para que os clientes se sintam cada vez mais contemplados? Uma ótima maneira de conseguir isso é por meio da pesquisa de opinião.

Essas pesquisas são uma excelente maneira de colher opiniões dos consumidores e otimizar as estratégias da empresa. Como se não bastasse, elas também servem para aproximar essas pessoas da organização, uma vez que se sentem ouvidas. Neste post, falaremos mais sobre essas pesquisas e como conduzi-las. Boa leitura!

A importância da pesquisa de opinião

A pesquisa de opinião é imprescindível para entender o impacto que os produtos e o atendimento da empresa têm sobre os clientes. A partir dela, será possível conhecer os pontos positivos e o que a companhia pode fazer para melhorar.

Esse estudo nada mais é do que um questionário com o objetivo de conhecer a experiência do cliente com a empresa. A pesquisa deve ser precisa o suficiente para que as perguntas elaboradas gerem respostas objetivas para facilitar a análise interna.

Assim, podemos dizer que ela é um recurso simples, mas com impacto relevante. Imaginemos, por exemplo, que uma pesquisa tenha como principal objetivo determinar as opiniões sobre um produto específico.

A partir da média das respostas, a empresa entenderá se aquela mercadoria é um sucesso ou se ainda pode receber ajustes. A mesma lógica também pode ser aplicada em relação ao nível de atendimento.

Você já deve ter entrado em sites nos quais uma janela o questiona sobre a sua satisfação com a empresa: aquela resposta é somada com a de outros visitantes e oferece à empresa uma visão precisa das perspectivas dos consumidores e leads.

Desse modo, podemos entender que essa pesquisa pode ser aplicada de diferentes maneiras; seja como um questionário mais detalhado enviado por e-mail ou até mesmo uma mera pergunta em um pop-up no seu site.

O importante é entender que as respostas fornecem uma visão clara de como as pessoas percebem o seu negócio. Como se não bastasse, elas são úteis para redesenhar estratégias e repensar processos.

Passos para fazer uma pesquisa de opinião de respeito

Agora que você já sabe a importância da pesquisa de opinião para o crescimento de um negócio, mostraremos algumas dicas essenciais para fazer o seu próprio estudo. Vamos conhecê-las.

1. Tenha um objetivo claro

Para definir um objetivo, pense na seguinte pergunta: você quer entender quais aspectos sobre o seu consumidor? Ao pensar em uma resposta clara, será mais fácil se concentrar naquilo que você deseja descobrir.

Suponhamos que sua empresa esteja conduzindo um questionário sobre um determinado produto. Elimine perguntas ambíguas, que possam confundir os clientes. Concentre-se no seu objeto de pesquisa!

2. Defina o público-alvo

Sua empresa é daquelas que atende a diversas faixas etárias? Isso é ótimo, mas as pesquisas precisarão ser mais focadas em determinados públicos-alvo. Por isso, faça um recorte de quantas pessoas você pretende consultar.

Para definir o público-alvo, pense nas características daquilo que você quer promover com a sua pesquisa. Sua intenção é colher opiniões sobre uma determinada linha de produtos? Então foque nas características comuns das pessoas que o compram normalmente.

Essas características podem ser a faixa etária, perfil socioeconômico, localização geográfica… ao mapear tudo isso, será bem mais assertivo delimitar as pessoas que responderão à pesquisa.

3. Escolha os canais adequados

Uma pesquisa de opinião pode ser conduzida de variadas formas, assim como os canais utilizados também são diversos. Alguns deles são:

  • e-mail;
  • redes sociais;
  • telefone;
  • WhatsApp;
  • formulários específicos.

Mais adiante, falaremos um pouco mais sobre os principais canais de pesquisa e o que levar em conta na hora de escolher um ou mais deles.

4. Estruture as perguntas dos seus questionários

Caso a pesquisa de opinião seja feita na base do bom e velho questionário, é muito importante delimitar a quantidade e o caráter de cada pergunta. Uma boa ideia é começar pensando se o estudo será quantitativo ou qualitativo.

No primeiro caso, a preocupação principal é com números e dados. No segundo, os entrevistados são incentivados a falar um pouco mais livremente para que a empresa consiga buscar respostas mais subjetivas.

Em uma pesquisa quantitativa, as perguntas precisam ser mais claras e objetivas, como uma forma de evitar ambiguidades. Já nos estudos qualitativos, as empresas buscam pontos de vista e impressões. Assim, há um pouco mais de margem para que surja a subjetividade.

5. Analise os resultados da pesquisa

Com as respostas devidamente coletadas, chega o momento de analisar os resultados. Em estudos quantitativos, por exemplo, a empresa pode utilizar gráficos para facilitar a interpretação.

Já em trabalhos mais qualitativos, é importante buscar referências constantes nas respostas das pessoas. Digamos que a sua empresa queira melhorar um serviço: portanto, preste atenção às palavras-chave que mais se repetem.

Canais para a realização da pesquisa

Agora, conheceremos os principais veículos que podem ser utilizados para a realização da pesquisa.

Telefone

O bom e velho telefone ainda é uma ótima opção para aplicar pesquisas de opinião. Contudo, é preciso entender que nem sempre as pessoas oferecem as respostas mais sinceras em um telefonema. Isso porque elas podem se sentir mais confortáveis oferecendo seus insights de forma anônima.

Mas isso não significa que esse canal não tenha utilidade! Com um telefonema, a empresa consegue obter respostas mais espontâneas, uma vez que a conversa é mais dinâmica e objetiva.

E-mail

Outro meio já bastante consolidado, o e-mail é outra forma barata de obter opiniões dos consumidores. Além disso, as respostas ficam armazenadas para futuras consultas. Esse trabalho de rever respostas é bem mais fácil nesse veículo, uma vez que basta acionar o comando “localizar” em um computador ou dispositivo móvel.

WhatsApp

O WhatsApp não se consolidou apenas como um aplicativo de conversa, mas também como uma maneira de conduzir pesquisas de opinião de respeito. Entretanto, os gestores devem tomar cuidado de abordar previamente os clientes sobre a possibilidade de utilizar o app para esse fim.

Redes sociais

Instagram, Facebook e Twitter são exemplos de redes sociais com um grande alcance. Como se não bastasse, são ferramentas de baixo custo. A empresa pode designar um colaborador para postar uma pergunta e conferir (e catalogar) as melhores respostas, por exemplo.

Chatbot

Os chatbots são softwares que automatizam conversas e podem ser utilizados para a fidelização. Além disso, eles armazenam conversas, facilitando a consulta. O trabalho também se torna mais objetivo, já que a ferramenta é capaz de extrair resultados por meio de um diálogo de perguntas e respostas predefinidas de acordo com os objetivos do estudo.

Consultoria especializada

Esse não é exatamente um veículo, mas também é uma maneira que empresas podem buscar para conduzir bons trabalhos: contar com consultores especializados em pesquisas de opinião. Isso faz com que o estudo seja mais objetivo, uma vez que passa a ser controlado por profissionais experientes.

Quais os erros mais comuns que precisam ser evitados?

Agora, para finalizar, falaremos um pouco sobre os erros mais frequentes em pesquisas de opinião. O primeiro deles é não definir o objetivo daquele estudo. Isso atrapalha a aquisição de dados e respostas, uma vez que os resultados não serão muito úteis para as estratégias futuras da empresa.

Outro erro frequente é formular perguntas muito complexas, difíceis de serem compreendidas. Lembre-se de que a pessoa responderá aos questionários o fará voluntariamente: portanto, nada pior do que irritá-lo com questionamentos pouco objetivos e mal formulados.

Do mesmo modo, evite pesquisas grandes demais, que acabem desestimulando a participação dos consumidores. Defina o público-alvo com precisão — afinal, nem todo produto servirá para pessoas de diferentes idades e preferências, por exemplo.

Uma medida interessante é aplicar uma espécie de estudo preliminar, antes da pesquisa propriamente dita. Nele, não se esqueça de perguntar os canais preferidos dos clientes. Dessa forma, sua empresa corre menos risco de abordar os consumidores em canais que o seu público-alvo não costuma utilizar com frequência.

Entendeu como a pesquisa de opinião é um instrumento realmente eficaz para coletar opiniões e melhorar seus serviços? Ela pode ser aplicada em diferentes veículos, contemplando pessoas de diferentes perfis. Não deixe de utilizar e analisar os dados obtidos para otimizar as atividades dentro do seu negócio!

Gostou do artigo e quer continuar aprendendo sobre formas de aproximar os clientes da sua empresa? Então, leia o nosso post sobre marketing de autoridade!

Posts relacionados

Deixe um comentário